sábado, 28 de junho de 2008

Super Size Me



Super Size Me. EUA, 2004. Documentário. 98 min. Direção: Morgan Spurlock



Quando ouvimos falar em Super Size Me, documentário dirigido pelo americano Morgan Spurlock, um monte de palavras fortes nos vem à cabeça: polêmica, denuncia, Mc Donald´s, obesidade, saúde, choque, etc. Talvez a indicação ao Oscar de melhor documentário de 2004, e a boa recepção por parte do público em festivais ao redor do globo sejam os fatores responsáveis pela polêmica ao redor do filme. Bem, na verdade, ao ver o filme, não vemos nada de tão chocante e polêmico.

Spurlock é uma cria do aclamado Michael Moore, e Super Size Me parece seguir a trilha dos sucessos Tiros em Columbine e 11/9. Porém, esbarramos aqui com um pequeno problema: Moore relatava algo realmente inédito e importante em seus filmes como crianças usando armas de fogo, o massacre de Columbine, as falcatruas de George W. Bush e outras tantas. Morgan, por outro lado, não nos mostra quase nada de novo, e ainda faz um estardalhaço sobre um assunto que todos já conhecem: fast food é nocivo à saúde.


Até o mais ingênuo sabe dos malefícios desse tipo de alimento. Todos sabem que Mc Donald´s engorda, aumenta colesterol, ataca o fígado e todas essas coisas. Tudo o que o diretor faz, é servir de cobaia se “envenenando” com fast-food durante um mês sob observação médica. Morgan Spurlock se submeteu a rigorosos exames antes, durante e depois da dieta, apenas pra dar nomes científicos aos males que todos já conhecem. Um esforço realmente desnecessário, uma vez que qualquer Globo Repórter da vida, ou entrevista com Drauzio Varela nos mostra isso quase todos os dias.

O mérito da produção está em mostrar a alimentação servida nas escolas americanas, tão nocivas à saúde dos alunos, quanto qualquer lanche no Mc Donald´s. Morgan é feliz em trazer à tona esse problema pouco conhecido (ou ignorado) pelas pessoas. E só.


A impressão final é de um filme óbvio, previsível e desnecessário. Provavelmente muitas pessoas ao terminar de assistir Super Size Me pensaram “Puxa! É isso? Tanto barulho por isso? ”

2 comentários:

Alan Mocellim disse...

stTambém tive essa impressão com relação ao filme.
A princípio não apresenta naenhuma questão de extrema relevância, ele só almejou "provar" que algo que qualquer um já fazia idéia é verdadeiro.
No fim o filme acabou sendo bastante comentado devido ao alvo, o fast food, e não pela criatividade de sua proposta.

André Carvalho disse...

Exatamente Alan. Eu me decepcionei bastante com o filme. Achei bastante dispensável.